Totalitarismo, polícia política e justiça aristocrática

(Blogspot Afonso Junior)

4 MIN LEITURA

São Paulo (Afonso Lima) – A supremacia branca autoritária pode ser civil ou militar. O povo é visto como inimigo.

Hannah Arendt diz que o núcleo oculto do totalitarismo é a polícia secreta. O autoritarismo, evidentemente, como não é um governo baseado numa lei comum acordada, precisa de polícia política para controle e vigilância de dissidentes – e pode contar com apoio da aristocracia judicial.

Assim, também em uma sociedade marcada pela desigualdade profunda, teorias da desigualdade inata surgem para justificar punitivismo e segregação, que, disseminadas na massa, podem ser reforçadas por projetos legais populistas. Depois de tanto Datena, tudo que o pai de família quer é bandido na cadeia – e tomar o poder com o medo é fácil. (Ou com o medo da corrupção – campanha que já abriu espaço para governo privatizador e contra investimento público).

Frente Dom Paulo

Redação Frente Dom Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.