O painel faz parte da EVA / Minerva Brasil – Conferência Internacional de Tecnologias Avançadas para a Cultura 

 

“Educação em Direitos Humanos e Memória Digital”

 

Local: PUC (Pontifícia Universidade Católica, auditório 333, rua Monte Alegre, 984, Perdizes, SP
Data:  Dia 14 de maio, das 16h15 às 18h15 (ver programação completa)

 

Sobre esta mesa-redonda

A mesa-redonda abordará o tema da educação para os direitos humanos, e a contribuição das tecnologias de informação e comunicação para a memória, empoderamento social e inteligência coletiva, na defesa dos direitos humanos. A discussão abordará os estudos de caso apresentados, o papel das tecnologias na sua disseminação e apropriação pelas comunidades, e as possibilidades de cooperação internacional.

Para a mesa-redonda os painelistas convidados são:

Marcelo Zelic
   Comissão Justiça e Paz, e site Armazém Memória
Profª Vera Lúcia Vieira
   História-PUC, coordenadora do Observatório das Violências Policiais e Direitos Humanos
Sérgio Storch
   Frente Inter-Religiosa Dom Paulo Evaristo Arns por Justiça e Paz, e Egrégora Inteligência
Mediação: Prof Paulo Martinez (História-UNESP).

 

A EVA/Minerva Brasil

O painel faz parte da Conferência Internacional EVA / Minerva Brasil de Tecnologias Avançadas para a Cultura – que acontecerá em São Paulo, nos dias 14 e 15 de maio na Pontifícia Universidade Católica (PUC) – Rua Monte Alegre, 984, auditórios 239 e 333, Perdizes, São Paulo, das 8h às 20h. É a primeira edição na América do Sul da EVA (Electronic Visualisation and the Arts), que integra a rede das EVA Conferences International e da conferência EVA/Minerva de Jerusalém.

Essa edição brasileira da EVA é vinculada ao projeto de pesquisa “História Ambiental e Paisagem Cultural em Israel: Tel-Aviv e Negev (2003-2018)”, da Faculdade de Ciências e Letras de Assis (FCL Assis/Unesp), conforme noticiado pela Agência Fapesp, O evento promoverá encontros entre profissionais e estudiosos do patrimônio cultural, desenvolvedores e fornecedores de tecnologias do Brasil e da União Europeia, com a apresentação de 14 mesas-redondas.

Espera-se a participação de representantes de museus, bibliotecas, arquivos, centros de documentação e memória, acadêmicos,  interessados em Humanidades Digitais e produtores de multimídia. As inscrições podem ser feitas pelo site da Eventbrite.

 

Perspectivas

A conferência será uma reunião das comunidades profissionais atuantes, desenvolvedores e fornecedores de tecnologias avançadas do Brasil e da União Europeia, possibilitando o intercâmbio de experiências, o aprendizado mútuo e a construção de projetos conjuntos. Esta iniciativa está em sinergia com o aumento da cooperação entre a União Europeia e o Brasil. O regime de cofinanciamento para PDT (Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico) foi expandido em maio de 2018 para todo o Brasil, quando anteriormente estavam disponíveis apenas em oito Estados.

Questões transversais de interesse para essas comunidades incluem tecnologias móveis; Mídias Sociais e Instituições Culturais; Bibliotecas digitais e tecnologias relacionadas; Dados vinculados; Abordagens aos metadados; Modelos de dados, incluindo o CIDOC-CRM; Modelo de dados da Europeana; Exposições Virtuais e Narrativas Digitais; Representação de objetos culturais 3D; novos modelos de negócios para instituições culturais; Publicação Aberta; Ciência cidadã e gestão de voluntários; e assim por diante.

A civilização digital cresceu devido ao impacto na sociedade das TIC (Tecnologias de Informação e Comunicação) em suas várias faces – as Novas Mídias, a Internet, a Web, os serviços móveis e a IoT (Internet of Things).

 

A rede EVA Conferences International

Os objetivos da rede de conferências internacionais EVA International estão apresentados na versão brasileira do evento, conforme descrição abaixo:

“O patrimônio cultural é um elemento-chave para promover o desenvolvimento socioeconômico, mas seu pleno potencial – como um motor para a inovação e o crescimento – ainda espera ser realizado. Para tratar desta lacuna, é necessário abordar as ligações complexas entre os bens e políticas culturais tradicionais (patrimônio cultural, instituições culturais dinâmicas e serviços) e as oportunidades proporcionadas pelas novas exigências e necessidades na sociedade atual.

Isto implica envolver sujeitos individuais e coletivos que trabalham no campo do patrimônio cultural com aqueles que desenvolvem e que implementam tecnologias avançadas em sintonia com a nova civilização digital. A civilização digital constitui-se rapidamente devido ao impacto na sociedade das TIC (Tecnologias de Informação e Comunicação) em suas várias faces – as Novas Mídias, a Internet, o Web, os serviços móveis e a IoT (Internet of Things).

O principal parceiro na organização da conferência no Brasil é a Universidade Estadual Paulista (UNESP) em cooperação com diversos outros parceiros (ver na página Parceria).

No Brasil existe uma ativa comunidade de profissionais da área de patrimônio cultural engajados com a aplicação de tecnologias avançadas. O dinamismo de tal comunidade recebe expressão no número e qualidade das conferências que ocorreram ultimamente no Brasil. Os participantes de tais conferências compõem o público alvo da presente iniciativa, que procura familiarizá-los e aproxima-los aos colegas e iniciativas europeias.

 

A Europeana é o principal centro através do qual as tecnologias avançadas são implantadas na área do patrimônio cultural

 

Programas europeus a serem apresentados na Conferência

 

A União Europeia desenvolveu vários programas para implementar as suas políticas relativas ao patrimônio cultural. A conferência procurará trazer para o Brasil pesquisadores, gestores e técnicos da União Europeia empenhados na viabilização de tais políticas e programas, bem como projetos que as traduzem em resultados concretos – tecnologias, atividades, experiências e programas no campo.

 

HORIZONTE 2020 Programa-Quadro Comunitário de Investigação & Inovação

A tipologia de projetos do Horizonte 2020, cuja presença na conferência deverá contribuir em muito para alcançar seus objetivos, está disponível em: https://tinyurl.com/h2020-culture

O documento “Horizonte 2020 – Programa de Trabalho 2018-2020 : Europa num mundo em mudança – Sociedades inclusivas, inovadoras e reflexivas” lista vários programas que pretendemos apresentar na conferência. Exemplos incluem: Crescimento inclusivo e sustentável através das indústrias culturais e criativas e das artes; Curadoria do patrimônio cultural digital e digitalização avançada; Abordagens colaborativas do patrimônio cultural para a coesão social.

 

Europeana – Infraestrutura de Serviços Digitais

A Europeana é o principal centro através do qual as tecnologias avançadas são implantadas na área do patrimônio cultural: Seu acervo contém mais de 50 milhões de itens digitais (documentos, imagens, áudio, vídeo etc).

(1) Agregação de conteúdo digital de museus, bibliotecas, arquivos e multimídia (2) Facilitação de acesso e reutilização de tais conteúdos digitais através de seu API e portal (3) Comunidades profissionais incluindo a Red Europeana de instituições, as comunidades profissionais de património cultural em Educação, Investigação Académica e em Indústrias Criativas (4) Europeana Labs para promover tecnologias de ponta e reutilização de conteúdos culturais (5) Promover o uso do conteúdo europeu para Pesquisa acadêmica .

 

Comissão Europeia: DG Educação, Juventude, Desporto e Cultura

A DG procura preservar o patrimônio cultural comum da Europa e torná-lo acessível a todos. Os seus programas destinam-se a ajudar as instituições culturais a tirarem o máximo partido do digital e a apoiarem a cooperação com parceiros da UE e de países terceiros.

A Creative Europe ajuda o cinema europeu, as artes e as indústrias criativas na geração de mais empregos e crescimento. Por exemplo:

LEM – A Rede de Museu de Aprendizagem que agora faz parte da Rede NE-MO de Organizações de Museus Europeus. Seus grupos de trabalho estão fornecendo resultados significativos relacionados ao The Virtual Museum e New trends em museus do século XXI.

 

 

Questões de interesse para essas comunidades incluem tecnologias móveis; Mídias Sociais e Instituições Culturais; Bibliotecas digitais e tecnologias relacionadas; abordagens aos metadados; Modelos de dados; Representação de objetos culturais 3D; novos modelos de negócios para instituições culturais; Publicação Aberta; Ciência cidadã e gestão de voluntários