“O que estamos chamando de política pública é, na verdade, política de incentivo aos interesses privados”

(Instituto Humanitas Unisinos – IHU)

5 MIN LEITURA

Entrevista especial com Rudá Ricci

São Leopoldo (Patricia Fachin) – Desde os anos 1990, a formulação de políticas públicas no Brasil e no mundo deixou de ser fundamentada em uma concepção pública de Estado e passou a ser elaborada a partir de uma concepção corporativa, e é isso que explica, em parte, a crise da representatividade política em vários países e a dificuldade dos Estados em elaborar políticas que satisfaçam as necessidades da população.

“Aceleradamente fomos trazendo todos os modelos de empresa privada, inclusive os interesses das empresas, para dentro do Estado e dos partidos políticos, de tal maneira que hoje não tem diferença nenhuma entre as propostas de condução do Estado do PT para o PSDB, para o MDB e, inclusive, para o PSL”, afirma Rudá Ricci à IHU On-Line, na entrevista concedida por telefone. Segundo ele, “todos os governos se ajoelharam para o mercado no último período. Estamos quebrando a noção de política pública e o que estamos chamando de política pública é, na verdade, política de incentivo aos interesses privados”. (…)

Rudá Guedes Moisés Salerno Ricci (Tupã, 17 de outubro de 1962) é um cientista político formado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP) na década de 80. Mestre em Representação Sindical no Brasil pela Unicamp e Doutor em Ciências Sociais pela mesma instituição. Diretor-geral do Instituto Cultiva em Minas Gerais. (Wikipedia)

  • [0] Leia mais: Instituto Humanitas Unisinos – IHU

Frente Dom Paulo

Redação Frente Dom Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.