07/09 – Ato Cultural e Ecumênico: 25º Grito dos Excluídos e Excluídas – “Vida em Primeiro Lugar”

 

4 MIN LEITURA

Participe você também do Ato Cultural e Ecumênico: 25º Grito dos Excluídos e Excluídas “Vida em Primeiro Lugar”, no dia 7 de setembro de 2019, com início às 10h00, onde ocorrerá a concentração na Praça da Sé.

 

A população brasileira tem sofrido os mais duros ataques das elites nacionais. Esses ataques são históricos e passam de governo para governo, mas ficaram mais violentos desde que a extrema-direita assumiu a cadeira presidencial. Atacam a população em todos os seus direitos: previdenciários, trabalhistas e sociais e, enquanto fazem, também desmontam todos os serviços públicos, como educação, cultura e saúde.

O povo, assim atacado, tem sua vida cada vez mais prejudicada, ficando entre o desemprego crônico e os subempregos precarizados, enquanto é forçado a pagar uma dívida que não é sua, mas dos banqueiros e empresários brasileiros. Nada escapa à violência e agressividade das elites nacionais em sua sanha por poder e dinheiro. Enquanto isso acontece, as elites bancam diversas formas de propaganda para enganar a população dizendo que tudo ficará bem, basta empreender, abrir mão de direitos e esperar passivamente até que o governo resolva todos os problemas do Brasil. Colocam brasileiro contra brasileiro.

CONTRA AS REFORMAS PREVIDENCIÁRIA E TRABALHISTA

É por isso que se intensificam as reformas neoliberais que reduzem os investimentos públicos e realizam privatizações e terceirizações em setores como Educação, Saúde, Cultura, Moradia, Reforma Agrária e Transporte Público entre outros. Entregam nossos patrimônios aos capitalistas para que deem lucros a poucos enquanto a maioria da população padece dia–a-dia. Enquanto as reformas avançam, aumenta a violência do Estado contra a população: polícias, guardas municipais e milícias apontam suas armas cotidianamente contra as camadas mais oprimidas e populares da classe trabalhadora.

POR MAIS INVESTIMENTO PÚBLICO E QUALIDADE PARA EDUCAÇÃO, SAÚDE, MORADIA, TRANSPORTE E REFORMA AGRÁRIA !

Os alvos são sempre os mesmos: camponeses, moradores de rua e das periferias, pessoas negras e indígenas, mulheres, migrantes e imigrantes, organizações populares e a comunidade LGBT. São cada vez corriqueiros os assassinatos sistemáticos dessas comunidades, destacando-se as chacinas organizadas contra a juventude pobre, negra e parda da periferia.

Também são vítimas desses assassinatos sistemáticos as pessoas que lutam para mudar essa situação, não é por outro motivo que o Brasil é um dos países em que mais se matam defensores e defensoras dos direitos humanos e militantes por mudanças profundas em nossa política e economia, como ocorreu com a vereadora carioca Marielle Franco, a missionária Dorothy Stang e a liderança indígena Afonso Pankararé.

O desemprego, a miséria e a violência, como sempre, são impostas cotidianamente à classe trabalhadora brasileira para atender aos interesses dos empresários da cidade, do agronegócio e dos banqueiros. Eles enriquecem por meio do desmonte dos Serviços Públicos, com o fim os direitos da população, com a apropriação privada do dinheiro público, a destruição da natureza e com o ataque às liberdades democráticas.

TRABALHADORES E TRABALHADORAS,UNIDOS, CONTRA A EXPLORAÇÃO CAPITALISTA!

TODOS E TODAS AO GRITO DOS EXCLUÍDOS !

Pastorais Sociais da Arquidiocese de São Paulo – Frente Intereligiosa Dom Paulo Evaristo Arns – CLASP -IPDM – SEFRAS – Intersindical Central – CSP Conlutas – Intersindical Instrumento – Sindicato dos Metroviários – Sinsprev Sindicato dos Radialistas – Unidade Classista – Unidos pra Lutar – Resistência e Luta – Oposição Unificada Apeoesp – Unidade da Oposição Sinpeem – Coletivo feminista classista Ana Montenegro

Frente Dom Paulo

Redação Frente Dom Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.